Prefeitura de Guararema. Trabalho e respeito. Por voc�.

Portal da Transparência SIC
Encontre em nosso site
  • Redes Sociais
  • Facebook
  • You Tube
  • Instagram

Saúde

08 de Abril de 2019 às 18:09 Outono: período de incidência de casos do vírus Mão-Pé-Boca

A doença Mão-Pé-Boca é uma enfermidade contagiosa causada pelo vírus Coxsackie da família dos enterovírus que habitam normalmente o sistema digestivo e também podem provocar estomatites (espécie de afta que afeta a mucosa da boca).

Embora possa acometer também os adultos, ela é mais comum na infância, antes dos cinco anos de idade. O nome da doença se deve ao fato de que as lesões aparecem mais comumente em mãos, pés e boca.

Sua incidência pode aumentar até 20% no outono e no inverno, por conta da imunidade ficar mais baixa no período. Crianças em creches são especialmente suscetíveis a surtos da doença, porque a infecção se espalha pelo contato pessoa a pessoa.

São sinais característicos da doença:

- febre alta nos dias que antecedem o surgimento das lesões;
- aparecimento, na boca, amídalas e faringe, de manchas vermelhas com vesículas branco-acinzentadas no centro que podem evoluir para ulcerações muito dolorosas;
- erupção de pequenas bolhas em geral nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, mas que pode ocorrer também nas nádegas e na região genital;
- mal-estar, falta de apetite, vômitos e diarreia;
- por causa da dor, surgem dificuldade para engolir e muita salivação.

Transmissão: A transmissão se dá pela via fecal/oral, por meio do contato direto entre as pessoas ou com as fezes, saliva e outras secreções, ou então pelos alimentos e objetos contaminados. Mesmo depois de recuperada, a pessoa pode transmitir o vírus pelas fezes durante aproximadamente quatro semanas. O período de incubação oscila entre um e sete dias. Na maioria dos casos, os sintomas são leves e podem ser confundidos com os do resfriado comum.

Tratamento: Ainda não existe vacina contra a doença mão-pé-boca. Em geral, como ocorre com outras infecções por vírus, ela regride espontaneamente depois de alguns dias. Por isso, na maior parte dos casos, tratam-se apenas os sintomas. Medicamentos antivirais ficam reservados para os casos mais graves. O ideal é que o paciente permaneça em repouso, tome bastante líquido e alimente-se bem, apesar da dor de garganta.

Prevenção:
Para evitar a transmissão é de extrema importância medidas de higiene, como:
- Manter as unhas das crianças sempre curtas.
- Os adultos em constante contato com crianças devem manter as unhas limpas e curtas.- Evitar compartilhamento de brinquedos (dentro do possível).
- Ensinar as crianças a cobrir a boca e nariz quando espirrar e tossir e usar papel (se possível).
- Ensinar as crianças a lavar as mãos antes após tossir/espirrar, utilizar o banheiro e antes das refeições.
- Evitar compartilhamento de objetos de uso pessoal como toalhas, pentes, talheres, copos e outros.
- Desinfetar áreas comuns: Adquira o hábito de limpá-las com água e sabão e, em seguida, reforce com uma solução diluída de água sanitária e água clorada.
- Como a doença da mão-pé-boca é altamente contagiosa, as pessoas contaminadas devem limitar sua exposição enquanto apresentarem sinais e sintomas ativos. Mantenha as crianças fora da escola até que a febre desapareça e as feridas na boca tenham cicatrizado.



Serviços

Leis Municipais e Publica��es

Acesso ao Webmail

Portal da Transparência

SIC

IPTU

Giss On Line

quitação Online

NFS

iCad

ICMS DIPAM

Downloads Certificados

ZOONOSES


© 2016 Prefeitura de Guararema - Todos os direitos reservados